As rádios emitem em várias frequências. Estes episódios, contudo, situam-se numa frequência diferente, não uma de rádio, mas de radio. Como em Radioterapia. Episódios de um tratamento oncológico (à suivre)
Domingo, 21 de Outubro de 2012

Com o cancro aprendi duas lições valiosas: nada é eterno e toda a gente tem limites. Ossos duros de roer, quando reflectimos mesmo nisto. Que nada dura para sempre e que tudo um dia, acaba, muda, se transforma.

 

Tive algumas desilusões nestas ultimas semanas, das que me admiraram e outras nem por isso. A quimio que fiz em Agosto e Setembro não funcionou. Obrigada Carbo+Taxol por nada terem feito por mim além de me terem desvendado a careca.

 

Agora a quimio é outra, e esta custa. Já no hospital, tive febre. Em casa, tive febre que me fez vomitar. Depois ligeiras náuseas. Depois acne e a boca toda rebentada por dentro (mucosas, lábios e língua, TUDO) com aftas. Perda de apetite. Um cansaço inexplicável. Lá voltei a andar a pé, aos bocadinhos, e a voltar do hospital de táxi. Estou há quase uma semana retida em casa. E sem grandes sinais de melhoras. E a dose é para ser repetida para a semana.

 

Quando me dei conta que estava a tremer de frio com 39° no hospital pensei, armada em forcado em frente ao touro, "ao menos esta quimio tem algum efeito no meu corpo! Talvez também afecte os tumores..." Lá está ela, a esperança bravia, que me surgiu se calhar de um delírio febril. Claro que quando chegaram os outros efeitos secundários só desejava que isto parasse. Que isto tivesse um fim, e rápido. Viver enclausurada não é para mim; passar os dias na cama também não. Mas se eu não aguento esta merda, acabou-se. Ganham os tumores (antigos e novos que entretanto vieram dar um ar da sua graça) e ganha o curso imparável do tempo. Porque eu corro, corro, corro, para ter mais tempo, mas cada vez mais ele me sufoca, com varias mãos resolutas no seu propósito e cada vez mais ele me levanta do chão, e me retira os apoios, e me abana pilares e toda a minha fundação.

publicado por Silvina às 17:18

Ainda que sirva de pouco, continuo aqui. Um abraço.
Eu a 21 de Outubro de 2012 às 19:25

Nunca serve de pouco saber-te ai.
Um beijinho*
Silvina a 25 de Outubro de 2012 às 17:44

O meu abraço gorducho e apertado, Silvine!!!
Melissa a 21 de Outubro de 2012 às 20:01

Merci Melisse!* * *
Silvina a 25 de Outubro de 2012 às 17:44

Minha querida Silvina...***
Ana a 21 de Outubro de 2012 às 20:49

:) Ana

Um beijinho*
Silvina a 25 de Outubro de 2012 às 17:45

Quero acreditar que é esta quimio que te vai salvar.
Quero mesmo.

Um beijo e um abraço apertado!
Ana. a 21 de Outubro de 2012 às 21:45

Ainda tenho que esperar dois meses para saber se está a fazer efeito...
Um beijinho*
Silvina a 25 de Outubro de 2012 às 17:46

"Não percas tempo, o tempo corre. Só quando doi é devagar. E dá-te ao vento como um veleiro, solto no mais alto mar "
Old Classic Mafalda Veiga
Não deixes o tempo correr mais depressa do que tu. Mando-te uma rabanada de vento, daquele que sopra nas nossas costas e nos impele para a frente.
Força.
Ana C a 21 de Outubro de 2012 às 22:07

Da Mafaldinha só conheço o restolho e gosto. Dessa frase também gosto. Obrigada pela inspiração*
Silvina a 25 de Outubro de 2012 às 17:47

Repete o teu mantra (que eu vou adoptar) vezes sem conta, todos os dias. A gente, daqui, vai-te empurrando e quem vai passar para a frente da corrida és tu! Um abraço bem grande e cheio de força, Silvina chérie.
Zu a 21 de Outubro de 2012 às 22:44

Obrigada Zu. Adopta o mantra, que ele é bonito :)
Um beijinho*
Silvina a 25 de Outubro de 2012 às 17:48

Força miuda...

Beijo gordo
Felina a 22 de Outubro de 2012 às 10:07

Obrigada Felina :)
Um beijinho*
Silvina a 25 de Outubro de 2012 às 17:49

Espero que no meio dessa tourada consigas recuperar forças entre sessões para apanhar ar fresco. Cada dia é uma conquista :)
Beijinhos e força!
gralha a 22 de Outubro de 2012 às 10:39

Olá Silvina,
"...e me abana pilares e toda a minha fundação.", e manténs-te aí, integra, forte e generosa.
Dando força a quem te lê, buscando (?) força em que te gosta.
Atrevo-me a dizer, parafraseando o teu último post a NOSSA força é imortal, e como alguém um dia disse (1 médico de quem ñ recordo agora o nome) o que interessa, em alguns momentos, "é dar vida aos dias...".
Venho cá e recebo vida.
Deixo ficar-te um abraço forte e quente (or freco) como preferires e precisares.
Fica bem,
Flora
Flora a 22 de Outubro de 2012 às 11:36

Obrigada pelas tuas palavras e pela força Flora.
Um grande beijinho*
Silvina a 25 de Outubro de 2012 às 17:51

Admiro-te imenso! Não percas a esperança, nunca :)
Flow a 22 de Outubro de 2012 às 12:39

Obrigada Flow :)
Um beijinho*
Silvina a 25 de Outubro de 2012 às 17:51



mais sobre mim
pesquisar
 
Translation(s)
Últ. comentários
Desculpe mas percebeu mal: Tout va bien como uma e...
ainda bem que as coisas se resolveram e ela agora ...
Ja não. Tout va bien.
Ela ainda está em tratamento?
Faz por estes dias um ano que recebi um postal de ...
Tens-me feito tanta falta...beijinhos, muitos muit...
Radio Alertas




Partilhe a sua historia
Radio friendly Pub'


Kiva - loans that change lives

Estúdio Tatuagem Blood Oath Tattoos

Todas as palavras de Amor

Bau da Aurora artesanato

Mimos de Crochet


Creative Commons Licence