As rádios emitem em várias frequências. Estes episódios, contudo, situam-se numa frequência diferente, não uma de rádio, mas de radio. Como em Radioterapia. Episódios de um tratamento oncológico (à suivre)
Quinta-feira, 19 de Agosto de 2010

Os últimos posts aqui no blog têm sido um pouco deprimentes, porque andava à espera dos resultados das análises histopatológicas (=àquilo que foi retirado durante a operação). Ontem falei com o Lambard, que me explicou com muita calma e paciência o relatório feito pelo patologista. Confirmou-se a recidiva do cancro, 4 meses depois do fim da radioterapia, com um novo tumor localizado perto da zona de origem e também um gânglio afectado. A parte boa é que foi tudo retirado na cirurgia e as margens estavam todas saudáveis. Continuo a ser um mistério médico, porque ninguém percebe como é que um cancro de desenvolvimento lento se desenvolveu rápido o suficiente para formar um novo tumor em 4-6 meses. Também não vou fazer mais tratamentos. A quimio não funciona no meu caso, a radio pelos vistos também não foi muito eficaz, e portanto, só sobram a cirurgia e a vigilância. Vou fazer exames de 3 em 3 meses (rastreio completo: ressonância magnética, scanner aos pulmões, etc).

 

A conversa com o meu médico acalmou-me a ansiedade, e fez-me perceber a importância de ter uma boa relação com quem nos trata. Porque ele arranja sempre tempo para falar comigo durante 1hora e me acalmar, e me dizer coisas como "o importante é poder continuar a sua vida, os seus projectos", e me fazer ver que a característica que devo desenvolver nesta fase é a adaptação. Sinto-me a viajar num cruzeiro um bocado sem rumo, mas sei que ele não se vai embora, não vai desistir, não me vai abandonar. E que com ele vou até onde for preciso, aguento o que for necessário, para daqui a 5 anos poder dizer que estou viva, e livre disto. é mesmo intrigante a relação tão intima que se estabelece com um estranho, devido às suas competências e às minhas fragilidades médicas. Sou uma lamechas e enviei um mail de agradecimento ao Lambard. Porque ele tem feito mais do que era "suposto", e porque é isso que me ajuda a reencontrar o meu zen.

publicado por Silvina às 11:57

Era a última notícia que queria ter, mas estou completamente convencida que vais ultrapassar isso tudo.

Nos entretantos, faz como diz o Lambard e vai realizando os projectos que dependem de ti.

Continua com essa força, estou estou aqui a torcer e orar

Beijinhos
Susana Neves a 19 de Agosto de 2010 às 15:03

Faz-me sempre bem ler os teus comentários! Beijinho e obrigada pela força*
Silvina a 24 de Agosto de 2010 às 14:39

Se tiraram tudo isso nao significa que o bicho se foi? Portanto só tens de pensar "era mau" mas foi-se! :) uma vez que tudo á volta tá limpinho! É nisso que deves pensar.

Beijokas grandes.:)
ClaudiaV a 29 de Agosto de 2010 às 16:43

Em teoria é isso sim :) Na realidade é um bocadinho mais complicado que isso. Porque no meu caso o cancro espalhou-se demasiado rápido, e o facto de estar já presente num gânglio linfático também aumenta o risco de outra recidiva. Mas escolho pensar assim como escreveste, que esta tudo limpinho e pronto! (E também preparar-me para o pior, se não estiver tudo limpinho, vamos la a isso a outra operação, que eu aguento-me à bomboca!!!)
beijinhos e *good vibes*
:)
Silvina a 30 de Agosto de 2010 às 10:41



mais sobre mim
pesquisar
 
Translation(s)
Últ. comentários
Desculpe mas percebeu mal: Tout va bien como uma e...
ainda bem que as coisas se resolveram e ela agora ...
Ja não. Tout va bien.
Ela ainda está em tratamento?
Faz por estes dias um ano que recebi um postal de ...
Tens-me feito tanta falta...beijinhos, muitos muit...
Radio Alertas




Partilhe a sua historia
Radio friendly Pub'


Kiva - loans that change lives

Estúdio Tatuagem Blood Oath Tattoos

Todas as palavras de Amor

Bau da Aurora artesanato

Mimos de Crochet


Creative Commons Licence