As rádios emitem em várias frequências. Estes episódios, contudo, situam-se numa frequência diferente, não uma de rádio, mas de radio. Como em Radioterapia. Episódios de um tratamento oncológico (à suivre)
Quarta-feira, 28 de Abril de 2010

publicado por Silvina às 10:15
tags:

Quinta-feira, 22 de Abril de 2010

Ontem fui a uma consulta de dermatologia. Contei ao médico sobre o meu Carcinoma muco-epidermóide da glândula salivar sub-maxilar, ao que ele responde: "Ah, mas isso é tão raro..." Eu sei, doutor. Já me sinto uma raridade.

 

Toma Mourinho, embrulha, porque eu é que sou "The Special One".

publicado por Silvina às 14:31


Ainda tenho efeitos secundários da radioterapia. Ainda tenho o pescocito inchado, ainda me passeio nas ruas da cidade com um duplo-queixo de fazer inveja a muita senhora com mais de 70 anos. De manhã quando me levanto ainda vou imediatamente à casa-de-banho, escarrar porcarias que me sufocam a garganta. Ainda tenho que beber água devagar, porque muitas vezes me engasgo, e cuspo tudo. A dor acalmou imenso, só me visita uma vez por semana, portanto cada vez recorro menos à minha amiga codeína. Comecei a fazer ginástica, para ir exercitando devagarinho estes músculos do pescoço e ombro, que ficaram meios ressequidos depois da radio e das operações. As cicatrizes estão-se a portar bem, como duas meninas ajuizadas que só não gostam é de apanhar sol. O sol é-me proibido este ano. Viva o creme 50 e os lenços charmosos ao pescoço!

publicado por Silvina às 14:23


Mudei-me há quase um mês. Procurei casa, instalei-me, comprei coisas para a casa, limpei muito e agora cá estou. Estatelada no sofá da minha nova casa. Revi pessoas que já não via há muito tempo e contei a muita gente o que me aconteceu. Lidei com reacções mais ou menos boas, pessoas chocadas ou sem reacção, incrédulas, envergonhadas. Pessoas que não sabiam o que me dizer, que não sabiam lidar com a palavra "cancro". Ainda há muita gente que acha que "cancro" é igual a "sentença de morte". Pois que não. Não é.

Tal como nem toda a gente que tem cancro tem que levar com quimioterapia, e já agora, quimioterapia não é a mesma coisa que radioterapia. Apercebi-me que anda aí muito boa gente mal informada, o que me fez pensar como é que é possível, visto o cancro estar-se a tornar a passos largos a primeira causa de morte em Portugal. E se nem toda a gente que tem cancro morre (graças ao senhor), imaginem o número de pessoas que tem/teve a doença, e o número de pessoas que conhece alguém que tem/teve a doença. E esta gente toda anda mal informada. Por isso, eu, de inicio envergonhada porque não gosto de expor a minha intimidade desta maneira, agora conto a toda a gente que tenho cancro. E espero não ser tratada como vítima, espero que as pessoas percebam que se tem que falar nisto a cru, que o cancro precisa de ser desmistificado e, se possível, gozado. Continuo a fazer piadas de cancro. Rio-me do cancro quase todos os dias. Alivia-me.

publicado por Silvina às 14:07
tags:

Sexta-feira, 02 de Abril de 2010

...Yet!

 

Estou em mudanças, algo ocupada com artigos para o lar, burocracias, arrumações e limpezas intensivas.

 

Assim que tiver um bocadinho actualizo com todas as novidades desta nova mudança.

 

Cancro-report: Tudo na mesma, o pescoço ainda inchado e algumas dores de garganta, cuja intensidade vai dependendo dos dias. Tenho saudades do meu médico (sem malícia!!!).

publicado por Silvina às 19:26


mais sobre mim
pesquisar
 
Translation(s)
Seguir a radiação
Últ. comentários
Desculpe mas percebeu mal: Tout va bien como uma e...
ainda bem que as coisas se resolveram e ela agora ...
Ja não. Tout va bien.
Ela ainda está em tratamento?
Faz por estes dias um ano que recebi um postal de ...
Tens-me feito tanta falta...beijinhos, muitos muit...
Radio Alertas




Partilhe a sua historia
Radio friendly Pub'


Kiva - loans that change lives

Estúdio Tatuagem Blood Oath Tattoos

Todas as palavras de Amor

Bau da Aurora artesanato

Mimos de Crochet


Creative Commons Licence