As rádios emitem em várias frequências. Estes episódios, contudo, situam-se numa frequência diferente, não uma de rádio, mas de radio. Como em Radioterapia. Episódios de um tratamento oncológico (à suivre)
Sábado, 12 de Novembro de 2011

Em Maio deste ano tinha rascunhado um post sobre o direito a decidir. Lá para o meio estava isto:

 

"O paciente tem o direito de decidir sobre si mesmo. De acordo com o Princípio da Autonomia, que o Código de Ética Médica dispõe nos artigos 46 e 48 do capítulo IV, que enfoca os Direitos Humanos, o paciente não é obrigado a aceitar qualquer conduta terapêutica, ainda que na visão do médico essa conduta vá beneficiá-la. (...)

 

Os pacientes têm o direito de opinar sobre as conveniências do tratamento, dispor de seu corpo, partes e função, e de decidir sobre sua própria vida. Estudos têm comprovado que as pacientes com câncer que tiveram oportunidade de participar na tomada de decisão de seu tratamento vieram a experimentar menos ansiedade e depressão."

 

tirado daqui.

 

O caso da Safira, para lá da obvia discussão sobre quimioterapia ou utilização de novas terapias, também me fez pensar nisto, sobretudo pelas implicações que o caso veio a ter ao ser levado a tribunal. Afinal, o que pode um doente oncológico decidir? E até quando é que ele (ou ela) tem direito a decidir sobre a sua própria vida? Até ao fim? Até os outros considerarem que ele está demente e, consequentemente, impossibilitado de tomar decisões respeitantes ao seu corpo e à sua vida?

 

Vi-me confrontada com estas questões quando recusei que me pusessem uma sonda alimentar durante a radioterapia. Cheguei aos 45,5kg (meço 1,62m). Mais do que o numero, foi a rapidez com que perdi o peso que alarmou a equipa médica. Foram 12,5kg perdidos num mês e meio. Apesar disto, recusei a sonda. Contra a opinião dos médicos, das amigas que me acompanhavam, da família. Contra tudo e contra todos. Dois familiares visitaram-me e acharam que eu estava louca (louca género demente, mesmo, irracional). Não consigo expressar por palavras o quanto isso me magoou. A falta de confiança que demonstraram, o facto de me terem deixado sozinha na minha decisão só porque eles não concordaram com ela. Quando era uma decisão que deveria ser tomada por MIM e por mais ninguém. Claro que entendo o porquê: medo, preocupação, angústia ao ver-me pele e osso a enfraquecer de dia para dia. E foi quando toda a gente me virou as costas que eu finquei pé e perseverei. Foram duas semanas de braço de ferro. Não pus a puta da sonda e passado uma semana o peso estabilizou, e passadas 4 semanas comecei a engordar. Num mês e meio recuperei 10 kg (e algum músculo, orgulho-me de o afirmar!). Eu tinha as minhas razões para não querer sonda, e confiei em mim que ia conseguir sobreviver e recuperar o peso perdido. Corri um grande risco, sim, but it paid off. O reverso da medalha é que senti que a partir dai iria sempre estar sozinha com as minhas decisões. E que iria ser uma luta gigante até ao fim para que os outros as respeitassem, para que entendessem que eu tinha (e tenho) esse direito de decidir sobre o meu corpo, a minha doença, a minha vida. Doa a quem doer, é um direito que me assiste.

publicado por Silvina às 12:10
tags: ,

Tantas novidades! Espero que a decisão tenha sido a melhor - só tu podes saber - e que a próxima cirurgia corra pelo melhor. Um abraço.
Eu a 12 de Novembro de 2011 às 21:28

Obrigada Eu! Sinto que foi a decisão que tive de tomar no momento, sem saber o futuro. Se foi melhor ou pior, ainda estou à espera para ver ;)
(A minha vida é sinonimo de estar sempre à espera para ver...)
Um beijinho*
Silvina a 13 de Novembro de 2011 às 16:56



mais sobre mim
pesquisar
 
Translation(s)
Últ. comentários
Desculpe mas percebeu mal: Tout va bien como uma e...
ainda bem que as coisas se resolveram e ela agora ...
Ja não. Tout va bien.
Ela ainda está em tratamento?
Faz por estes dias um ano que recebi um postal de ...
Tens-me feito tanta falta...beijinhos, muitos muit...
Radio Alertas




Partilhe a sua historia
Radio friendly Pub'


Kiva - loans that change lives

Estúdio Tatuagem Blood Oath Tattoos

Todas as palavras de Amor

Bau da Aurora artesanato

Mimos de Crochet


Creative Commons Licence