As rádios emitem em várias frequências. Estes episódios, contudo, situam-se numa frequência diferente, não uma de rádio, mas de radio. Como em Radioterapia. Episódios de um tratamento oncológico (à suivre)
Quarta-feira, 22 de Fevereiro de 2012

Antes dos Trovante, já Fernando Pessoa exprimia este sentimento de saudade pelo que está para vir, nostalgia da infância que não se teve, misto de coração apertado de tentar ser outro e o próprio ao mesmo tempo. Coexistir sem existir limitação de tempo; sem haver a dimensão do tempo. Esse mesmo tempo que me assombra e me mede os dias. Odeio-o. E festejo-o ao mesmo tempo. Já passou um ano. 365 dias, muitas horas e minutos e ainda não morri.

 

Mas todos os dias penso nessa certeza de todo o mortal, que não podemos fugir ao tempo. E sinto muitas saudades do futuro que me prometi, do mar de possibilidades que se tem aos 20 e poucos anos. Tenho saudades das ilusões, dos moinhos de vento, das convicções inabaláveis e da sabedoria adolescente tão definitiva que tinha. Saudades dos meus pilares não serem abanados, uns, ou não terem morrido, outros. às vezes viajo no tempo no século XXI. E tenho ardentes saudades do meu futuro, o que devia viver, o que me estava destinado noutro canto da História. Estou presa, confinada a um presente que não me deixa cortar amarras, e tenho o resto dos pilares que me restam de molho, à espera que a madeira apodreça e que a casa entorte.

 

(Só alusões a Veneza, que foi uma viagem muito -demasiado?- introspectiva)

publicado por Silvina às 23:04
tags: ,

Momentos em que nos conhecemos, nos permitimos, entramos em nossa imensidão.Certamente nos fere, nos revela verdades escondidas, nos faz deparar com aquilo que evitamos.Acredito mesmo que são esses momentos que muito nos doem, que nos permitem enfrentar a nossa verdade e encarar o tamanho da dor e da fragilidade.
Busco neles e recordo junto deles, mesmo que não favoráveis são inevitáveis.

bjo, bjo
juliana a 22 de Fevereiro de 2012 às 23:33

São momentos que mexem muito comigo. Voltei da viagem ainda viajando, ainda meio abananada. Não percebi ainda todo o alcance do que se passou nestes dias. Tens razão quando dizes que estes momentos são inevitáveis e até mesmo necessários. às vezes não quero enfrentar, mas não há como fugir... :)
Grande beijinho*
Silvina a 23 de Fevereiro de 2012 às 00:21

O futuro é já amanhã, pensa assim!
Comeste muita pasta? E bebeste um belo de um vinho?
Quando voltares a Portugal contacta-me que vamos po aí(Lisboa) à procura de pasta e de música. Já agora, gostas de Jazz?
Beijinho
lu a 24 de Fevereiro de 2012 às 19:11

lu, gosto disso tudo -jazz, pasta, musica, vinho. Infelizmente não suporto bebidas alcoólicas, depois da 2a radio e da quimio esta boca tornou-se ultra-sensível e não aguenta álcool nenhum... Uma tristeza! ;)
Um beijinho*
Silvina a 24 de Fevereiro de 2012 às 23:56



mais sobre mim
pesquisar
 
Translation(s)
Últ. comentários
Desculpe mas percebeu mal: Tout va bien como uma e...
ainda bem que as coisas se resolveram e ela agora ...
Ja não. Tout va bien.
Ela ainda está em tratamento?
Faz por estes dias um ano que recebi um postal de ...
Tens-me feito tanta falta...beijinhos, muitos muit...
Radio Alertas




Partilhe a sua historia
Radio friendly Pub'


Kiva - loans that change lives

Estúdio Tatuagem Blood Oath Tattoos

Todas as palavras de Amor

Bau da Aurora artesanato

Mimos de Crochet


Creative Commons Licence