As rádios emitem em várias frequências. Estes episódios, contudo, situam-se numa frequência diferente, não uma de rádio, mas de radio. Como em Radioterapia. Episódios de um tratamento oncológico (à suivre)
Terça-feira, 27 de Novembro de 2012

 

 

I Wish I knew How it Would Feel to be Free

(Nina Simone)

 

I wish I knew how it would feel to be free
I wish I could break all the chains holding me
I wish I could say all the things that I should say
say 'em loud, say 'em clear
for the whole round world to hear.

 

I wish I could share all the love that's in my heart
remove all the bars that keep us apart
I wish you could know what it means to be me
Then you'd see and agree
that every man should be free.

 

I wish I could give all I'm longing to give
I wish I could live like I'm longing to live
I wish that I could do all the things that I can do
though I'm way overdue I'd be starting anew.

 

Well I wish I could be like a bird in the sky
how sweet it would be if I found I could fly
Oh I'd soar to the sun and look down at the sea
and I'd sing cos I'd know that
and I'd sing cos I'd know that
and I'd sing cos I'd know that
I'd know how it feels to be free
I'd know how it feels to be free
I'd know how it feels to be free

publicado por Silvina às 16:38

Sexta-feira, 23 de Novembro de 2012

Subscrevo na integra. Para quê passar a ferro, alguém me explique?! No antigamente, que não havia máquinas de lavar a roupa, ainda compreendo que por razões de higiene se esquentasse a roupa com o ferro (para matar micróbios e tal), mas hoje em dia?! Não entendo... E pelos vistos não sou a única:

 

(...) Mulheres que vivem sob o jugo da roupa irrepreensível, mulheres que pensam que o caracter e reputação dos filhos se define pela impecabilidade do tecido que os reveste e com que se apresentam na escola, ainda que os filhos digam merda e as mandem para o caralho. Não é tarde para vós. A patologia que vos foi imposta pelos vossos antepassados, sogras e mães, tem cura.
Para quem ainda não se rendeu às evidências da perda de tempo pura e simples em que consiste a actividade engomadeira e insiste num colarinho retesado, aqui ficam algumas dicas para deixar o vício. Pequenos passos, que ajudam à cura:
Comecem por cagar nas t-shirts. Uma t-shirt bem dobrada é mais  do que suficiente.
Os lençóis: Dobrem-nos em quatro, com ajuda, e passem o ferro sobre o lençol já dobrado, só para que possa caber no armário.
Camisas dos putos: Para começar e, como é Inverno, passem apenas as golas.
Camisas dos gajos: Eles que façam o que bem entenderem.
Inspirem e expirem e iniciem esta prática de libertação. (...)

 

Pela lúcida Ana C., n'A Vontade de Regresso

publicado por Silvina às 11:35

Domingo, 18 de Novembro de 2012

Hoje deu-me para a nostalgia, depois de ter descoberto este vídeo:

 

 

 

(vi uma cover do tema de Dexter no blog do Arrumadinho e depois descobri esta pérola. Eu sabia que depois de ler 236+ posts que não interessam para nada, haveria qualquer coisa que faria todo o esforço valer a pena!)

 

THE LEGEND OF ZELDA


"May the way of the Hero lead to the Triforce"






 

Anos. Passei anos a jogar este jogo, na sua versão original, claro. Cheguei ao fim não sei quantas vezes. E depois começava de novo. Joguei isto em Portugal, em Paris, na Ásia. Verdadeiro vicio que não me larga desde a infância.

 

publicado por Silvina às 18:50

Terça-feira, 13 de Novembro de 2012

Djavan - Nem um dia

 

 

 

...toda fragilidade incide...

publicado por Silvina às 10:50

Domingo, 21 de Outubro de 2012

 

 

 

[E toda eu me transformo num poço de lamechice.]

publicado por Silvina às 17:56


 

“Não admito! Minha esperança é imortal. Eu repito, ouviram? Imortal.

Sei que não dá pra mudar o começo, mas se a gente quiser, vai dar pra mudar o final.”

 

Só de sacanagem, de Elisa Lucinda (lido por Ana Carolina)

publicado por Silvina às 17:47

Segunda-feira, 15 de Outubro de 2012

Eric Clapton e Marcy Levy, "Nobody Knows You When You're Down and Out" (1977)

[versão mais rock&roll, my favorite]

 

 

 

 

 

Versão acústica do Eric:

 

 

 

Once I lived the life of a millionaire,
Spent all my money, I just did not care.
Took all my friends out for a good time,
Bought bootleg whiskey, champagne and wine.

Then I began to fall so low,
Lost all my good friends, I did not have nowhere to go.
I get my hands on a dollar again,
I'm gonna hang on to it till that eagle grins.

Cause no, no, nobody knows you
When you're down and out.
In your pocket, not one penny,
And as for friends, you don't have any.

When you finally get back up on your feet again,
Everybody wants to be your old long-lost friend.
Said it's mighty strange, without a doubt,
Nobody knows you when you're down and out.

When you finally get back upon your feet again,
Everybody wants to be your good old long-lost friend.
Said it's mighty strange,
Nobody knows you,
Nobody knows you,
Nobody knows you when you're down and out.

 

publicado por Silvina às 11:49

Terça-feira, 28 de Agosto de 2012

 

 

(sugerida aqui há tempos pela Ana C. na página FB dos Episódios. Não consigo parar de ouvir.)

publicado por Silvina às 16:29

Segunda-feira, 27 de Agosto de 2012

...e lembrar de bons velhos tempos...

 

 

publicado por Silvina às 01:33

Terça-feira, 14 de Agosto de 2012

 

"Trenchtown Rock"

 

 

One good thing about music, when it hits you, you feel no pain...

 

 

 

Bob Marley and The Wailers - Live at The Roxy Theatre, Los Angeles, CA 25.05.1976. (Rastaman Vibration Tour) 

publicado por Silvina às 09:32


mais sobre mim
pesquisar
 
Translation(s)
Últ. comentários
Desculpe mas percebeu mal: Tout va bien como uma e...
ainda bem que as coisas se resolveram e ela agora ...
Ja não. Tout va bien.
Ela ainda está em tratamento?
Faz por estes dias um ano que recebi um postal de ...
Tens-me feito tanta falta...beijinhos, muitos muit...
Radio Alertas




Partilhe a sua historia
Radio friendly Pub'


Kiva - loans that change lives

Estúdio Tatuagem Blood Oath Tattoos

Todas as palavras de Amor

Bau da Aurora artesanato

Mimos de Crochet


Creative Commons Licence