As rádios emitem em várias frequências. Estes episódios, contudo, situam-se numa frequência diferente, não uma de rádio, mas de radio. Como em Radioterapia. Episódios de um tratamento oncológico (à suivre)
Segunda-feira, 04 de Março de 2013

Já aqui falei do João uma data de vezes. O João tem uma leucemia, diagnosticada a 15 de Julho de 2010. Para ajudar à "festa", é um tipo de leucemia raro. O João já tentou um transplante de medula óssea, já fez inúmeras quimios, e recentemente os médicos disseram-lhe que já não tinham mais tratamentos para lhe propor.

 

O João é um puto cheio de vida, com muita energia, e nem ele nem a familia vão desistir e vão lutar até ao fim.

 

O novo plano é levar o João até aos EUA, para o Boston Childrens Hospital.

 

Deixo aqui o apelo da mãe do João, a Sandra Oliveira. Quem puder contribuir não deixe de o fazer por favor! Cada € conta!!!

 

 

foto retirada do blog do João

 

 

Como sabem vivemos momentos muito difíceis e estamos à procura de respostas noutros lados, uma vez que o IPO esgotou todas as respostas.
Surgiu a hipótese de levar o João para os EUA, para o Boston Childrens Hospital - www.childrenshospital.org.
São especialistas mundiais em leucemias e têm tratamentos para leucemias que não respondem aos tratamentos, o que é o caso do João.
Precisamos de ajuda, muita, a nível financeiro.
Eu sei que não está fácil para ninguém mas eu não posso desistir nem deixar de tentar esta hipótese.
Por isso faço aqui um apelo, a todos os amigos que nos têm acompanhado estes anos, por pouco que seja pode fazer muita diferença na vida do João.
Deixo o meu NIB e IBAN, esta conta está em meu nome, Sandra Oliveira, quem quiser e puder contribuir, agradecemos do fundo do coração.

Banco BPI


NIB - Número de Identificação Bancária:
0010 0000 39544970001 76

IBAN - Número Internacional de Conta Bancária:
PT50 0010 0000 3954 4970 0017 6

SWIFT/BIC:
BBPIPTPL

 

 

Obrigada a todos!

 

ESTOU SOLIDÁRIO COM O JOÃO, COMO POSSO AJUDAR?

 

 

1. Espalhem a palavra!!! DIVULGUEM ESTE APELO PELAS VOSSAS REDES SOCIAIS, POR E-MAIL, NOS VOSSOS BLOGS!!!

 

 

2. Ajuda financeira: CADA EURO CONTA! Como dizia a minha avó, GRÃO A GRÃO ENCHE A GALINHA O PAPO.

 

 

Link para o blog do João, que a mãe actualizou frequentemente durante todos estes anos e meses de luta:

 

http://medulaparaojoao.blogspot.pt/


Terça-feira, 13 de Novembro de 2012

A Pólo Norte insurgiu-se, e pouco depois surgiu um movimento. Quem quiser ajudar na organização das brigadas pode contactá-la através deste perfil do Facebook. Também há a página dos Quadripolares Solidários.

 

Não há é desculpa.

 

Como diz a Pólo Norte, quem não se inscrever como dador é Relvas!

 

 

 

 


Terça-feira, 25 de Setembro de 2012

Hoje vou partilhar aqui um post da mãe do João. São 23h da noite e quem me ler ainda hoje pode ir para a cama reflectir e dormir sobre o assunto. E amanhã, quem sabe, acordar e agir, desafiar um amigo e irem os dois inscrever-se como dadores de medula. Os tempos estão para a acção! Chega de inércia!

 

Terça-feira, 25 de Setembro de 2012

Uma quimio já foi...
Ainda estamos no IPO mas saímos hoje. Lá para a meia-noite.
Outras se seguem. Comprimidos e injecções.
Este ciclo é "médio", dois pesados se seguem se não aparecer um dador.
Peço por tudo a quem ainda não é dador de medula para se inscrever.
É indolor e faz toda a diferença.

 

 

 

Enquanto se insiste num compasso de espera, num "ando a pensar nisso", num "se calhar vou lá amanhã inscrever-me", o João faz quimio. E quimio cada vez mais pesada. O João quer viver, merece viver, está cheio de vida. E vive a lutar, e merece medula.


Sábado, 08 de Setembro de 2012

Estava no hospital e li este post da Ana. Não acreditei, não queria acreditar. Tinha passado o dia a chorar, mas ainda tinha algumas lágrimas para a Cá. Esta bonequinha, que me tornou alerta da importância de doar medula óssea. Que lutava e vivia com todas as suas forças.

A Cá partiu, mas fica a sua mensagem, que importa relembrar. E transcrevo aqui um dos meus posts preferidos do seu blog. Depois disto, quem vier argumentar que doar medula custa muito é um ogre sem coração.

 

Sejam DADORES DE MEDULA e deixem-se de tretas!!!

Tenho 7 anos e desde os 4 que conheço este hospital.
Desde a primeira vez, fiz tratamentos de quimioterapia, muitas vezes, tantas que nem sei.
Vivi grande parte destes anos num quarto 4x4 onde ao longe, consoante o quarto que me destinam, posso ver bem lá ao fundo um bocadinho de mar.
Outras vezes nem isso.
Da primeira vez, sempre que fui a casa, era como se tivesse que aproveitar o tempo todo duma assentada. O tempo que lá estava era curto, muito curto.
Depois de muitos meses, quase um ano, fiz um transplante. Um dador que nem sei o nome deu-me esperanças de vida.
Passei pela queda do cabelo, pelas dores de barriga, pelas febres, pelas diarreias, pela falta de apetite.
Dessa primeira vez, lembro-me que tive muitas aftas na língua.
Mesmo quando em alguns momentos a fome me vinha, não conseguia comer, tantas eram as dores que sentia.
O dia que voltei a casa foi duma alegria muito alegre, duma felicidade muito feliz, dum contentamento muito contente.
.
Aos poucos fui ganhando forças, mas nos entretantos, tive que ser internada: um bichinho no cateter que não me deixava descansada.
Consegui ainda assim, sempre com consultas periódicas, ter uma vida minimamente normal. Passei fins de semana fora de casa e até consegui estar de férias. Apesar de não poder ir à escola, tive uma professora que me ensinou as primeiras letras e os primeiros números. Brinquei com os meus amigos. 
Senti a minha alegria na alegria que via na família.
Quando nada o fazia prever, depois de um mais um ano em que tudo parecia seguir o melhor caminho, aqui estou eu de volta outra vez a repetir toda esta parte menos boa que já conhecia.
Felizmente as células malignas foram detectadas logo no inicio. Felizmente o meu dador inicial, tinha-me dado muitas células e muitas delas estavam ainda bem guardadinhas.
Assim voltei a fazer mais um transplante.
Mais quimioterapia, queda de cabelo, febres altas, comichões insuportáveis, o corpo inchado e a melancolia de querer voltar a casa.
Aprendi palavras e frases que a maioria dos meus amigos da mesma idade que eu, desconhecem: cateter, mielograma, tirar sangue, ver as tensões, seringas. Tenho-me tornado grande mesmo continuando pequenina.
Agora os valores de sangue estão bons, a medula começou a dar sinais de vida, mas a doença do hospedeiro, que apesar de eu não entender, é bom, deixou-me algumas mazelas no aparelho digestivo.
Isso quer dizer que está tão ferido que não consegue ‘mastigar’ a comida. Tive por isso enjoos e ‘gomitos’ e noites muito mal dormidas.
Tive que começar a comer por um saquinho. Eu até nem me chateio porque a vontade de comer não é nenhuma.
Tenho estado tristinha, sem conseguir inventar brincadeiras que me possam transportar para lados diferentes onde possa sentir um pouco de alegria. Deve ser por isso que durmo muito. Para ver se nos sonhos encontro uma portinha que me possa levar até casa, nem que seja só por um bocadinho.
Agora estou a começar a comer: primeiro só água de canja de galinha, depois um bocadinho de chá. Hoje um pouquinho de pão torrado e amanhã arroz e bifinho de frango grelhado. E eu que só me lembro das bolachas Maria….!!!
Sei que já estive mais longe. Sei que aos pouquinhos vou voltar a sentir-me melhor para poder voltar a casa.
Esse é o meu objectivo.  No caminho da CURA!
Tenho sete anos, feitos faz pouquinho e desde os quatro que conheço este hospital.
Por isso, aos que dizem que ser dador de medula dói, eu digo-lhes: vamos trocar? Eu troco com vocês e nem preciso pensar um pouquinho.
Sabem o que vos digo: SEJAM DADORES DE MEDULA E DEIXEM-SE DE TRETAS.
 
Beijos Grandes de Enormes da Cázinha
P.S. Apareço na Revista Lux desta semana :)

 

 

 

publicado por Silvina às 17:03

Quinta-feira, 26 de Julho de 2012

Já andava a pensar criar uma página no Facebook para os Episódios. No entanto, não tenho pachorra nenhuma para o Facebook, nem para actualizar a página, nem para responder a comentários. A sério, não esperem milagres. Definitivamente, não tenho um dom para o social networking (por ex., odeio o Tweeter). 

 

Mas o caso da Bia fez-me pensar, e pensar. E achei que criar uma página poderia ajudar na divulgação de casos como o da Bia, para que a mensagem chegue ao maior numero de pessoas possível. Se a cura do meu cancro dependesse de um dador de medula, eu também gostava que se mexessem por mim.

 

Por isso aqui está, acabadinha de sair do forno, a nova página dos Episódios de Radio no Facebook.

 

Façam Like! ;)



Conheci o caso da Bia graças ao blog Quadripolaridades, e tenho seguido as actualizações do caso graças ao blog da Mammy.

 

Mais uma vez, insisto para a importância de se tornarem dadores de medula óssea!

 

Aqui fica um resumo da história, pela Pólo Norte:

 

 

"Tens um mano na tua barriga?" - entrou de rompante pelo meu quarto. A mãe, internada no quarto ao lado, tentou demove-la. " Não incomodes a senhora! Anda cá!". Mas ela continuava a olhar para mim, de pé, à beira da minha cama de hospital. Olhos azuis, cabelo louro, 4 anos de gente.
"Também tens um mano na barriga?"- insistia. Pego-a ao colo para se sentar aos pés da cama, leve que nem uma pluma. "Cuidado com o meu cateter!". A mãe, pálida e com ar gasto, grávida do mesmo tempo gestacional que eu, a contar-me da leucemia da filha, dos tratamentos de quimioterapia, da gravidez que pode ser uma esperança de vida, de mais vida ainda, o verdadeiro milagre da vida, para a filha que já vive. Das possibilidades de compatibilidade do novo bebé, que entretanto ganha pouco peso no útero, fruto do sistema nervoso da mãe que, internada, não acompanha pela primeira vez, em dois anos e meio, o ciclo de químio da filha.
"Tens um Bobi?"- fita-me, a pequena, de olhos pregados no suporte com rodas que me eleva o soro. E a mãe sorri, gasta e cansada, velha no pico dos seus 26 anos, a aguardar um milagre que são dois, agora. O bebé só tem um rim mas não lhe importa. A doença da filha ensinou-a a racionalizar a realidade. "Vive-se só com um rim, eu quero é que ele nasça bem, mesmo que não seja compatível,. Quero- os aos dois, bem! Percebe-me, não é?" Percebo tão bem.
E a menina canta- me aos pés. Elevo-a no elevador da cama, fica alta no cimo do colchão elevado. "Vou tocar no sol!"- e não parece doente, enquanto escorrega pelas minhas pernas, se ri às gargalhadas e folheia um livro que me ofereceu uma leitora deste blog.
A mãe a insistir que me deixe sossegada, sorriso exausto. Está desempregada, " ninguém dá trabalho a uma mulher que tem que faltar uma semana por mês para acompanhar a filha na quimioterapia". E, agora, internada. O marido teve que meter baixa para a substituir- "o dinheiro da baixa não vem logo no mês em que gozamos a baixa, este mês nao sei como irá ser". A filha, tagarela, dá gargalhadas e, por um momento, o sorriso abre-se, alheio aos problemas. Acaricia a barriga, como que a regar o crescimento do bebé que aí vem.
Falamos dos bebés que esperamos. Chega mámen para a visita, senta a menina ao colo, faz-lhe desenhos a pedido. A mãe elogia o jeito dele para desenhar. Mostro- lhe a fotografia da parede do quarto da Ana, pintada por ele. A menina pergunta se ele lhe pode desenhar uma Kitty na parede. Sorrimos os dois, cúmplices. Hoje toleramos a Kitty. Sim, irá pintá-lá, logo que a mãe regresse a casa. A menina salta de alegria.
Chega o jantar, a mãe e a menina recolhem ao seu quarto, não sem antes a pequena insistir: "Tens um mano na barriga?".
Lembro- me das discussões que temos tido acerca da preservação de células estaminais. Banco Público ou empresa privada? Se colocarmos no Banco Publico e aparecer alguém que precise, a nossa filha fica sem as suas células disponíveis. No Privado as células serão sempre guardadas para ela.
E a menina ali ao lado, a precisar de um transplante de medula. Não pode haver egoísmo na humanidade. Nem umbiguismo. Se a nossa filha fosse compatível, não hesitaríamos um segundo, sabemo-lo com o olhar, as palavras não são precisas.
E, finalmente, respondo "Sim, tenho uma (m)Ana na barriga!". Porque todos os bebés deveriam ser irmãos da menina.
A minha sê-lo-á.
 

E um vídeo da mãe e do pai da Bia no A Tarde é Sua da TVi.

 

 

 

 

PARA AJUDAR DIRECTAMENTE A BIA E A FAMÍLIA:

 

[Ainda nas palavras da Pólo Norte : ]

 

  • "Primeiro e, mais importante, tornando-se dadores de medula óssea. Tudo o que precisam de saber sobre este assunto está aqui. Bem sei que está calor, que é um maçada ir dar sangue até ao hospital e que há montes de motivos para ir adiando a ida. Mas eu conheço a Bia e- garanto-vos!- a Bia é uma razão suficientemente forte para levantarmos o rabo da cadeira e agirmos. 
  • Organizando no local de trabalho, no clube, no sindicato, nas reuniões de tupperware ou nas da mala vermelha, no ginásio ou na universidade uma recolha de sangue em parceria com o hospital da V. residência. É uma forma de mobilizarem colegas e amigos em torno de uma causa nobre. 
  • Se está grávida doando as células estaminais do cordão umbilical do seu bebé para o Banco Público.Isto é, optando pela criopreservação das células do sangue do cordão umbilical na LUSOCORD.
  • Ajudando monetariamente a família através de transferência bancária para o NIB  0010 0000 2623 6280 0018 3 (by the way, o nome do titular é Christian Zorzytzky, o pai da Bia é alemão. A mãe é portuguesa.). 
  • Angariando fundos para ajudar a família através de ideias giras ou mobilizando as empresas onde se trabalha ou onde se tem contactos numa perspectiva de responsabilidade social
  • Oferecendo bens. A família receberá o novo bebé em breve e sabemos as despesas que isso acarreta. Bens de farmácia, leites em pó, fraldas, soros, toalhitas, roupinhas ou o que se lembrarem que pode ser útil e fazer a família poupar dinheiro nesta fase. 

    [Envio de géneros, ou o que vocês quiserem para:]

     

    Sandra Parreiras
    Apartado 29
    EC Alcabideche
    2646-901 Alcabideche


  • Contando esta história nos V. blogs para a difundir, tal como já fizeram a Me, a Mac, a Leididi, a S* ou a Turista.
  • Divulgando esta história massivamente por e-mail ou através do facebook de forma a podermos fazê-la chegar a tanta gente quanto possível."

 

 

 

 

 

 

 

PARA DOAR MEDULA:

 

 

"Pontos de recolha:
Centro de Histocompatibilidade do Centro
Praceta Prof. Mota Pinto
Edificio S. Jerónimo (Piso 4)
Coimbra
Telefone:             239480700      
2ª a 6ª Feira das 9.00 - 12.00 e das
14.00 -17.00
Inscrição prévia: Não
---------------------------------------------------
Centro de Histocompatibilidade do Norte
Pavilhão Maria Fernanda
Rua Roberto Frias
Porto
Telefone:             225573470      
2ª a 6ª Feira das 9.00 às 17.30
Inscrição prévia: Não
---------------------------------------------------
Instituto Português de Oncologia (Piso 2),
Rua Prof. Lima Basto, Lisboa
Telefone:             217229800      
2ª a 5ª Feira das 9.00 às 16.00
6º Feira das 9.00 às 14.00
Inscrição prévia: Não
---------------------------------------------------
Hospital Dona Estefânia (Piso 1),
Rua Jacinto Marto, Lisboa
Telefone:             213126907      
2ª a 6ª Feira das 9.00 às 13.00
Inscrição prévia: Não
---------------------------------------------------
Hospital Fernando da Fonseca ( Piso 2),
Estrada IC 19, Amadora
Telefone:             214348279      
4ª Feira das 8.30 às 20.00
5ª Feira das 8.30 às 13.00
Inscrição prévia: Não
---------------------------------------------------
Hospital Curry Cabral (Piso 0),
Rua da Beneficência, Lisboa
Telefone:             217924260      
2ª a 6ª Feira das 08.00 às 15.30
Inscrição prévia: Não
---------------------------------------------------
Hospital de Torres Novas (Piso 0),
Av. Xanana Gusmão, Apart. 45, Torres Novas
            249810100      
3ª e 4ª Feira das 09.00 às 13.00
Inscrição prévia: Não
---------------------------------------------------
Hospital de Abrantes (Piso 3),
Largo Engenheiro Biocas, Abrantes
Telefone:             241360722      
3ª e 4ª Feira das 09.00 às 13.00
Inscrição prévia: Não
---------------------------------------------------
Hospital de Tomar (Piso 1),
Av. Maria de Lurdes Melo e Castro, Tomar
Telefone:             249320100      
3ª e 4ª Feira das 09.00 às 13.00
Inscrição prévia: Não
---------------------------------------------------
Hospital do Barreiro (Piso 1),
Av. Movimento das Forças Armadas, Barreiro
Telefone:             212147340      
2ª a 4ª Feira das 09.00 às 12.00
Inscrição prévia: Sim
---------------------------------------------------
Hospital de Beja ( Piso 0),
Rua Dr. António Fernando Covas Lima, Beja
Telefone:             284310200      
2ª, 3ª, 5ª Feiras das 09.30 às 12.30 e das 14.30 às 16.00
Inscrição prévia: Não
---------------------------------------------------
Hospital de Évora ( Piso 0),
Largo Nossa Senhora da Pobreza, Évora
Telefone:             266740132      
2ª a 4ª Feira das 09.00 às 15.00
5º Feira das 14.00 às 16.00 e das 09.00 às 12.00
Inscrição prévia: Não
---------------------------------------------------
Hospital de Elvas ( Piso 2),
Rua Mariana Martins, Elvas
Telefone:             268637200      
2ª e 3ª Feira das 09.00 às 16.00
Inscrição prévia: Não
---------------------------------------------------
Hospital do Litoral Alentejano ( Piso 1),
Monte do Gibardinho - Estrada Nacional 261, S. Cacém
Telefone:             269818100      
3ª e 5ª Feira das 09.00 às 12.00
Inscrição prévia: Não
---------------------------------------------------
Hospital de Portalegre (Piso 2),
Av. Santo António - Apartado 328, Portalegre
Telefone:             245301000      
2ª a 6ª Feira das 08.00 às 13.00
Inscrição prévia: Não
---------------------------------------------------
Hospital do Barlavento Algarvio (Piso 1),
Sitio do Poço Seco, Portimão
Telefone:             282450341      
2ª a 5ª Feira das 14.00 às 15.30
Inscrição prévia: Não
---------------------------------------------------
Hospital de Faro ( Piso 2),
Rua Leão Penedo, Faro
Telefone:             289891275      
2ª Feira das 08.30 às 12.00
Inscrição prévia: Sim
---------------------------------------------------
Hospital de Vila Franca de Xira ( Piso 0),
Rua Dr. Luís César Pereira, V. F. Xira
Telefone:             263285838      
3ª e 5ª Feiras das 09.00 às 16.00
Inscrição prévia: Sim
---------------------------------------------------
Hospital Garcia de Orta (Piso 1)
Av. Torrado da Silva - Pragal, Almada
Telefone:             212727255      
2ª a 5ª Feiras das 09.00 às 12.00
Inscrição prévia: Sim
---------------------------------------------------
Centro Hospitalar de Setubal,
Rua Camilo Castelo Branco, Setúbal
Telefone:             265549049      
2ª a 6ª das 11.00 às 12.30
Inscrição prévia: Sim
---------------------------------------------------
Hospital do Funchal,
Av. Luís de Camões, Funchal
Telefone: 291705750/2
2 3ª feiras p/mês das 09.00 às 13.00
Inscrição prévia: Sim
---------------------------------------------------
Hospital da Horta (Piso 1),
Estrada Principe Alberto do Mónaco, Horta
Telefone:             292201000      
2ª a 6ª Feiras das 09.00 às 12.00 e das 14.00 às 16.00
Inscrição prévia: Sim
---------------------------------------------------
Hospital do Divino Espírito Santo (Piso 4),
Avª. D. Manuel I - São Sebastião, P. Delgada
Telefone:             296203560      
2ª a 5ª Feira das 08.30 às 14.30
6ª Feiras das 08.30 às 12.30
Inscrição prévia: Sim
---------------------------------------------------
Centro Hospitalar Cova da Beira, Quinta do Alvito, Covilhã
Telefone:             275330000      
2ª a 6ª Feiras das 09.00 às 12.00 e das 14.00 às 16.00
Inscrição prévia: Sim
---------------------------------------------------
Hospital Amato Lusitano
Av. Pedro Álvares Cabral, C. Branco
Telefone:             272000272      
2ª a 6ª Feiras das 09.00 às 12.00 e das 14.00 às 16.00
Inscrição prévia: Sim
---------------------------------------------------
Hospital de São Teotónio
Av. Rei D. Duarte, Viseu
Telefone:             232420500      
2ª a 6ª Feiras das 09.00 às 12.00 e das 14.00 às 16.00
Inscrição prévia: Sim
---------------------------------------------------
Hospital de Leiria, Rua das Olhalvas, Leiria
Telefone:             244817018      
2ª a 5ª Feiras (excepto feriados) das 08.00 às 15.00
Inscrição prévia: Sim
---------------------------------------------------
Os Serviços que tem indicação de Inscrição Prévia, só recebem dadores já convocados pelo CEDACE
Os potenciais dadores das Regiões Autónomas da Madeira e Açores, deverão sempre enviar a sua inscrição para o CEDACE e só depois serão convocados para os serviços mais próximos da sua área de Residência.
O CEDACE não se responsabiliza por eventuais mudanças aos dias de colheita e horários pré-estabelecidos, sendo essas alterações da inteira responsabilidade dos Serviços de Sangue Hospitalares que colaboram na inscrição de dadores."
publicado por Silvina às 12:53

Terça-feira, 10 de Julho de 2012

 

 "Já há muito tempo que queria ser dadora. Mas ia-me esquecendo, o tempo ia passando... os horários do centro de histocompatibilidade são curtos e pouco práticos, e o Hospital... francamente nem sei onde fica, e andar à procura dele por Lisboa era um dissuasor. Tudo parvoíces, claro.

Mas hoje, fui ao shopping buscar umas certidões (e colocar as prendinhas do giveaway no correio) e vejo uma menina a distribuir panfletos.
Até dia 14, em vários shoppings da região de Lisboa, está a decorrer uma campanha de recolha de sangue e de medula. E é de manhã à noite. Não há mais desculpas.

Finalmente, sou dadora. (...)"


 EU, no Trintona e Boa Rapariga

 

publicado por Silvina às 18:59

Sexta-feira, 08 de Junho de 2012

Uma das coisas que mais me custa no cancro é a imprevisibilidade.

 

Tudo pode acontecer. E rápido.

 

Um dia está tudo bem, no dia seguinte está tudo mal.

 

é um viver na corda bamba levado ao extremo. Como é que se faz isto? Não sei muito bem, mas faz-se. é possível. Engole-se a injustiça, abraça-se a coragem, intensificam-se os momentos. Aceita-se a felicidade quando ela vem. Cria-se espaço para o riso, para o convívio, para a música, para os encontros.

 

Mas quando surgem noticias destas, como uma recidiva completamente do nada, parece que tudo isso deixa de fazer sentido. E de todas as palavras que poderia dizer, só me saem estas: que grande merda.

 

publicado por Silvina às 12:27

Sábado, 18 de Setembro de 2010

 

visto no Blog da Me e imediatamente roubado para aqui.

publicado por Silvina às 11:12

Sábado, 21 de Agosto de 2010

Mais uma vez o apelo para se inscrevem como dadores de medula óssea, não custa nada!!!

 

 

Salve o João



OLÁ, EU SOU O JOÃO ANDRÉ, TENHO 9 ANOS E TENHO LEUCEMIA.


FOI-ME DIAGNOSTICADA A DOENÇA A 15 DE JULHO DE 2010 E ESTOU NO IPO INTITUTO PORTUGUÊS DE ONCOLOGIA FRANCISCO GENTIL) DE LISBOA .

A MINHA LEUCEMIA É RARA, TÃO RARA QUE SÓ FICO BOM COM O TRANSPLANTE DE MEDULA ÓSSEA.

SER DADOR NÃO DOI E PODE SALVAR A MINHA VIDA E A VIDA DE OUTROS MENINOS COMO EU.



Para Ser dador deve dirigir-se:
CEDACE, Registo Português de Dadores de Medula Óssea
Hospital Pulido Valente
Alameda das Linhas de Torres, 117
1769-001 LISBOA
Tel. 21 750 41 00
Fax. 21 750 41 41
Centro de Histocompatibilidade do Centro
Pcta Prof. Mota Pinto - Edf.São Jerónimo, 4º Apartado 9041
3001-301 Coimbra
Tel: 239480700/719
Centro de Histocompatibilidade do Norte
R.Roberto Frias - Pavilhão Maria Fernanda
4200-467 Porto
Tel. 22 51 9102 ou 22 557 3470
IPO de Lisboa
R. Prof. Lima Basto, 2º Andar
1099-023 Lisboa
Telefone (Geral) 217229800 / 217200400
Mais informações em: http://www.apcl.pt - http://www.chsul.pt - http://www.chnorte.min-saude.pt
Deve indicar que vem dar sangue para mim, João André Correia Pereira de Oliveira, internado no serviço de Pediatria do IPO de Lisboa, 7º piso.


Contactos: 914726032 (Mãe)

publicado por Silvina às 23:04


mais sobre mim
pesquisar
 
Translation(s)
Seguir a radiação
Últ. comentários
Desculpe mas percebeu mal: Tout va bien como uma e...
ainda bem que as coisas se resolveram e ela agora ...
Ja não. Tout va bien.
Ela ainda está em tratamento?
Faz por estes dias um ano que recebi um postal de ...
Tens-me feito tanta falta...beijinhos, muitos muit...
Radio Alertas




Partilhe a sua historia
Radio friendly Pub'


Kiva - loans that change lives

Estúdio Tatuagem Blood Oath Tattoos

Todas as palavras de Amor

Bau da Aurora artesanato

Mimos de Crochet


Creative Commons Licence