Como te percebo..eu acho que já te falei aqui da minha anorexia e há uma frase, dita pela minha mãe quando eu tinha uns treze anos (há sete portanto.), naquela fase normal da adolescência em que o corpo muda e em que eu passei de magrinha para miúda com curvas e dois papos no peito esquisitos, que nunca me esqueci. disse-me "continuas assim e vais ficar uma baleia"..é horrivel, e se ela soubesse o impacto que aquilo ia ter na minha vida nunca o teria dito, obviamente, mas não poderia adivinhar. No entanto, e mesmo sendo minha mãe e perdoando-a, como é lógico, não deixo de achar que ela errou. como acho que a tua mãe errou. As pessoas às vezes sabem que determinada coisa nos magoa e não deixam de o fazer, muitas vezes por pura libertação de frustrações individuais que não conseguem canalizar de outra forma. E quando eu compreendi isso, que aquilo era um problema dela, da cabeça dela, e que as coisas horriveis que às vezes, como se tivesse raiva de mim, me dizia, não tinham nada a ver comigo. eram as inseguranças dela a virem ao de cima. Ainda me magoam, mas não deixo que me paralizem. não deixes tu também. já viste tudo o que já conseguiste ultrapassar? umas borbulhas não são nada. parecem, mas não são. Força Silvina, um abraço.
Inês Barros a 26 de Outubro de 2012 às 00:00

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.