As rádios emitem em várias frequências. Estes episódios, contudo, situam-se numa frequência diferente, não uma de rádio, mas de radio. Como em Radioterapia. Episódios de um tratamento oncológico (à suivre)
Quinta-feira, 09 de Agosto de 2012

Comunidade de doentes oncológicos e afins, preciso de ajuda. Ontem comecei a fazer quimioterapia. Não vale a pena alongar-me muito sobre as estatísticas, que roçam os 0% de taxa de sobrevivência. Normalmente com o meu tipo de cancro avançado faz-se quimio para prolongar a vida. Para depois fazer mais tratamentos para prolongar a vida -estão a ver a pescadinha de rabo na boca?- Pergunto-me onde fica o viver a vida no meio disto tudo...


Independentemente disso, tenho de tentar. Ainda hesitei durante uma semana, faço, não faço, faço, não faço.


Preciso de esperança e de um milagre. Decidi fazer, porque mesmo que não acredite nesta quimio, pode dar-me mais tempo para surgir outra coisa.


Mas preciso também de dicas para suportar melhor a quimio, a perda dos cabelos, os outros efeitos secundários todos... 

 

Está aberta a caixa de comentários! Usem e abusem!

 

 

ADENDA: Quando fiz cisplatina há 1 ano e meio tive muitas náuseas mas nunca vomitei e não me caiu o cabelo. Este protocolo que estou a fazer agora é Carboplatina + Taxol. Se alguém já o experimentou que se acuse! :)

publicado por Silvina às 16:13

Segunda-feira, 06 de Agosto de 2012

Ah, quando é que param os tormentos do mundo?

Quando é que cessam os remoinhos

Que me arrastam para o fundo?



Quantas desilusões, quantos barcos sem rumo,

Quantas ondas galgadas, quantas velas esfarrapadas,

Quanto mar já batido, quantas idas sem retorno,

Quanto optimismo ardido, quantas esperanças defraudadas?




(23-07-2012)

publicado por Silvina às 15:05
tags:


VORGEFÜHL

 

Ich bin wie eine Fahne von Fernen umgeben.

Ich ahne die Winde, die kommen, und muß sie leben,

während die Dinge unten sich noch nicht rühren:

die Türen schließen noch sanft, und in den Kaminen ist Stille;

die Fenster zittern noch nicht, und der Staub ist noch schwer.

 

Da weiß ich die Stürme schon and bin erregt wie das Meer.

Und breite mich aus und falle in mich hinein

und werfe mich ab und bin ganz allein

in dem großen Sturm.

 

 

 

PRESSENTIMENTO

 

Sou como uma bandeira rodeada de distâncias.

Pressinto os ventos vindouros e tenho de vivê-los,

enquanto as coisas em baixo ainda nem se tocam:

as portas ainda se fecham suaves e há silêncio nas chaminés;

as janelas não vibram ainda e o pó ainda é pesado.

 

Mas eu já conheço as tempestades e agito-me como o mar.

E estendo-me e afundo-me dentro de mim

e lanço-me à terra e estou completamente só

na tempestade imensa.

 

 

 

Rainer Maria Rilke, O Livro das Imagens (trad. Maria João Costa Pereira) 


Quarta-feira, 01 de Agosto de 2012

...desde há uma semana." Este primeiro vídeo fez-me ficar meia engasgada. É obrigatório, repito OBRIGATÓRIO ser visto e revisto por quem tem cancro e por quem não tem. Ouçam e interiorizem o que ele diz.

 

 

 

 

 

 

Este segundo vídeo é para descontrair. Porque o cancro também tem piada (e quando não tem eu gozo com ele na mesma.):

 

 

publicado por Silvina às 21:22


Não querendo roubar o titulo ao Bach, sempre gostei da expressão "a arte da fuga". Defendo afincadamente a opção de fuga quando nos chega a mostarda ao nariz, quando estamos fartos, quando não conseguimos mais respirar.

A semana passada foi extremamente dura para mim. Estava prestes a passar-me com tanta noticia de merda, a ausência do meu médico (que está de férias, também tem direito, coitadinho) e incompetência de uma data de gente que deveria ser competente e que depois se vai a ver e não é.

 

E o que é que uma pessoa (eu) faz quando está a rebentar e já não aguenta mais?

 

a) Telefona aos amigos e queixa-se;

b) Chora durante horas;

c) Compra um bilhete de avião para Marrocos para partir dali a 2 dias;

d) Todas as de cima.

 

 

 Resposta: D, claro!

 

 

 

 

 

 

(poderia exercitar-me à vontade nesta arte da fuga durante mais uma semanita...)

publicado por Silvina às 18:22


mais sobre mim
pesquisar
 
Seguir a radiação
Últ. comentários
Como era linda, meu deus!
Em Janeiro de 2016, aos 53 anos, foi-me diagnostic...
To Blog parabens pela radio !
Desculpe mas percebeu mal: Tout va bien como uma e...
ainda bem que as coisas se resolveram e ela agora ...
Ja não. Tout va bien.