Tirando os meus filhos e o meu marido, não sou uma pessoa de abraços. Fico estática como um bloco de gelo, de cada vez que a minha única avó ainda viva me abraça, ou qualquer outra pessoa fora deste círculo pequenino de pessoas.
Só que a cena com as avós é que elas continuam a abraçar-nos, mesmo que saibam que não gostamos de ser abraçadas e nós gostamos que elas continuem, apesar de saberem que não gostamos...
Mesmo sabendo que, tal como eu, não és mulher de abraços, deixo-te aqui um imenso abraço de conforto.
Ana C a 1 de Fevereiro de 2012 às 19:49

Ana C, tu percebes sempre tudo. é isso mesmo.
Obrigada pelo abracinho*
Silvina a 2 de Fevereiro de 2012 às 18:11