Silvina, compreendo-a perfeitamente! Não porque saiba na minha pele o que é ter cancro, mas porque acompanhei o cancro da minha mãe.
Lembro-me que numa das idas ao IPO, para a acompanhar, encontrei miúdas da mesma idade que eu na altura, 16 anos.
E perguntei-me como seria a vida daquelas adolescentes... que possivelmente ainda nem namorava, tal como eu ainda não... perguntei-me que sonhos teriam em termos de relacionamento, de vida a dois, de constituir família... por isso, sim, percebo o complicado que é conjugar, como disse, a "sinceridade" e o "cancro"... especialmente numa relação em início de "carreira"

Desejo-lhe muita força, mas já vi que a tem!!
Naná a 23 de Fevereiro de 2012 às 15:02

Muito obrigada pela força Nanà. Gostei das suas fotos da Arrifana, um sitio lindo.
Um beijinho*
Silvina a 24 de Fevereiro de 2012 às 23:52